Esoterismo Magias e Rituais

Bori no Candomblé

Bori no Candomblé
Escrito por Paulo Rodrigues

Bori no Candomblé é, nada mais e nada menos do que uma das mais importantes oferendas existentes na religião. Em sua versão mais tradicional, o jogo de búzios determinada como deverá ocorrer a oferenda, com essas instruções a outra pessoa faz.

É feita somente no Candomblé, por mais que algumas pessoas se confundam e acreditem que isso parte também da Umbanda. É algo bastante característico, se você se sente atraído(a) pela religião, vale a pena saber muito mais sobre isso.

Quer saber tudo sobre o Bori? Continue lendo e encontre as melhores informações sobre o assunto!

O que é o Bori no Candomblé?

Para que você, leitor, possa ter uma melhor entendimento sobre essa oferenda, decidimos explicar tudo desde o início.

Para começar, a primeira oferta é realizada para Ori Eledá. Essa oferta vem para chamar o bem, a leveza, a calma, a paz, a felicidade, o ânimo…  é uma parte realmente muito importante do ritual.

Isso deve ser feito com tanto cuidado porque, nem sempre as pessoas estão de fato preparadas para fazerem oferendas, então acabam ficando muito preocupadas e nervosas. Fazendo essa primeira oferta fica muito mais fácil acalmar os ânimos.

Outro mito muito contado é que, para fazer o Bori, a pessoa precisa antes passar pelo ritual de raspagem dos cabelos, o que não procede. Se a pessoa quiser, pode fazer o Bori e só então partir para o ritual de raspagem.

para que serve  Bori no Candomblé

Para que serve o Bori no Candomblé?

Para que uma pessoa esteja pronta para receber um Orixá, é necessário que ela tenha feito o Bori. Mas se você ainda não é um seguidor assíduo da religião, você ainda sim pode recorrer ao Bori para se energizar a se sentir mais leve, não há problema algum nisso!

O Bori serve para que quem faz sinta-se mais protegido, mais guardado e mais calmo em relação às situações do cotidiano, é uma maneira muito bonita de resolver a ansiedade.

É um ritual muito importante de se aprender, não só por conta da religião, mas também pelos benefícios que isso pode trazer para nossa saúde mental quando bem-feito.

Ritual de Bori Passo a Passo

Aquele que vai fazer o Bori, antes de tudo deve ter em mente que deverá fazer uma espécie de limpeza espiritual, porque quando mal feito, o  Bori pode trazer alguns malefícios como a confusão mental.

Quando estamos carregados de más energias ele não funciona; por isso que é indispensável estar mais leve no momento da oferenda.

A pessoa que fará o ritual não deve, em hipótese alguma, realizar o consumo de bebidas de álcool antes do ritual, assim como também não deve fazer sexo ou comer carnes vermelhas (como de boi, por exemplo!)

Um animal vivo é sacrificado durante o Bori, mas não se assuste, essa é uma prática até que bem comum no Candomblé. A oferenda do animal é feita para um Exu ou Pomba Gira, que são facilitadores do contato com os orixás.

Geralmente, como na religião os desperdícios são muito mal vistos, a oferenda do animal vem seguida de uma ceia feita com a carne, uma vez que somente o sangue é usado de fato para as entidades.

A pessoa que faz o Bori fica em uma espécie de “descanso”, normalmente junto com pessoas mais sábias da religião.

O que não pode faltar em um Bori

Como o ritual é cheio de detalhes, muitas coisas são necessárias para que possamos de fato ter um ritual pleno e bem trabalhado.

Para isso, não podemos nos esquecer das mais lindas flores, que por suas vezes fazem o serviço de alegrar o ambiente e chamar o orixá.

As frutas também são muitos importantes, enchem os olhos de qualquer um que veja o ritual sendo feito, uma beleza.

Existem os terreiros que fazem o uso de pombas brancas por toda a simbologia envolvida nisso, é algo bastante interessante.

As nozes são o primeiro item a ser oferecido, também não pode faltar durante a oferenda, tem uma boa simbologia.

Feitura do Santo

A feitura do Santo é feita logo após o Bori, não falamos de uma coisa sem que nos lembremos da outra imediatamente.

A feitura é como se fosse uma necessidade imediata e urgente de iniciação, é chamada também de assentamento do Santo na cabeça.

É possível adiar em alguns casos, com alguns combinados a iniciação, mas em outros realmente não é possível fazê-lo.

O Candomblé é uma religião muito completa e com muitas ramificações importantes que não podemos perder na busca de compreensão.

O Candomblé não é esse bicho de sete cabeças que as pessoas estão acostumadas a enxergar; é uma religião muito bonita, mas que necessita de muito comprometimento para se tornar um praticante.

Também pode interessar:

Agora que você já sabe como funciona o Bori no Candomblé, fique à vontade para o esclarecimento de algumas dúvidas, esse espaço também é seu!

Sobre o autor

Paulo Rodrigues

Apaixonado pelo mundo místico e o místério das simpatias. Mestre de Reiki e pesquisador ativo em paranormalidades. Com o propósito de ajudar as pessoas na busca do autoconhecimento.

Deixe um comentário