Existem muitas crenças e práticas no mundo do esoterismo, e uma delas é a diferença entre obsessor e encosto em simpatias e feitiços. Embora possam parecer similares, esses dois termos têm significados distintos e é importante compreender a diferença entre eles para uma prática segura e eficaz. Neste artigo, vamos explorar essa diferença e descobrir como lidar com cada um deles em suas simpatias e feitiços.

Distinção entre obsessores e encostos no universo das práticas espirituais

O universo das práticas espirituais é vasto e existem diferentes termos utilizados para descrever as entidades espirituais que podem nos afetar. Entre esses termos, dois dos mais comuns são obsessores e encostos.

Obsessores são entidades espirituais que possuem uma carga energética mais pesada e são capazes de causar maiores danos à pessoa que está sendo afetada. Eles são capazes de influenciar diretamente os pensamentos e as emoções da pessoa, levando-a a atitudes negativas e autodestrutivas. Alguns obsessores podem até mesmo se apegar à pessoa por várias encarnações, causando problemas ao longo de várias vidas.

Encostos, por outro lado, são entidades espirituais que possuem uma carga energética mais leve e, portanto, são menos problemáticas do que os obsessores. Eles geralmente se limitam a “encostar” na pessoa, sem exercer uma influência significativa sobre seus pensamentos e emoções. No entanto, mesmo que não causem danos diretos, os encostos ainda podem causar desconforto e afetar negativamente a energia da pessoa.

É importante destacar que nem todos os problemas espirituais são causados por obsessores ou encostos. Existem outras entidades espirituais que também podem afetar as pessoas, como os eguns (espíritos de pessoas falecidas) e os exus (entidades espirituais da umbanda). Cada uma dessas entidades possui características e comportamentos específicos, o que torna ainda mais importante identificar corretamente a fonte dos problemas.

Desvendando a presença do obsessor: como identificar e se proteger em rituais

Em simpatias e feitiços, é comum ouvirmos falar sobre a presença de um obsessor ou encosto, mas você sabe a diferença entre eles? Enquanto o encosto é uma energia negativa que se fixa no campo áurico da pessoa, o obsessor é um espírito desencarnado que se prendeu a essa pessoa por afinidade ou por algum outro motivo.

Identificar a presença do obsessor em um ritual é fundamental para poder se proteger e afastar essa energia negativa. Algumas dicas importantes são prestar atenção aos sinais do corpo, como dores de cabeça, tonturas e sensação de peso no peito, e também estar atento aos pensamentos e emoções que surgem durante o ritual.

Outra maneira de identificar a presença do obsessor é através da mediunidade. Se você é uma pessoa sensitiva, pode perceber a energia do obsessor durante o ritual. Caso contrário, é importante buscar ajuda de um profissional da área, como um médium ou terapeuta espiritual, que pode ajudar a identificar e afastar essa energia negativa.

Para se proteger da presença do obsessor em rituais, existem diversas técnicas eficazes, como a visualização de uma luz branca envolvendo o corpo, a utilização de cristais de proteção e a realização de banhos energéticos com ervas específicas. O importante é manter a mente e o corpo equilibrados e sempre buscar ajuda quando necessário.