Legenda: Registre seus rituais e passe seu conhecimento adiante / Autor: Halanna Halila / Fonte: Unsplash

Uma boa bruxa tem um arquivo imenso de simpatias. Afastar inimigos, atrair o amor verdadeiro, conseguir uma promoção no emprego, parar de roer unhas, abrir os caminhos, emagrecer e por aí vai… A lista é gigante e pode ajudar em todos os aspectos da vida. 

Mas de que adianta ter um “arsenal” de rituais poderosos e deixá-los guardados apenas para si? Compartilhando suas simpatias você pode ajudar muitos familiares e amigos a conquistarem seus desejos. Quem sabe você pode até mesmo criar um curso on-line empoderando outras bruxas e bruxos, estimulando-os a criarem seus próprios rituais. 

Com a tecnologia, ferramentas e redes sociais ao seu favor, basta uma boa dose de simpatia – e agora estamos falando daquela afinidade entre você e quem está te assistindo. Quando isso encontra a fé de quem faz o ritual, não há simpatia que não dê certo. 

Agora anote tudinho para começar a registrar e divulgar esse trabalho agora mesmo:

Conteúdo

A primeira coisa que você precisa se preocupar é o conteúdo. Como vai ensinar suas simpatias? Qual seu estilo? Se coloque no lugar de quem vai fazer o ritual e deixe o mais claro possível. Pense de que forma você pode entregar a solução para quem quer resolver um problema. Crie um roteiro para seus vídeos, essa estruturação deixa o conteúdo mais organizado. Você pode ter padrões, isso facilita as próximas produções. Por exemplo, pode decidir começar o vídeo explicando brevemente para que serve aquela simpatia, depois enumera os materiais necessários, explica o passo a passo e finaliza estimulando a fé. Você vai encontrar sua maneira de passar seu conteúdo e autenticidade. 

Equipamentos

Você vai precisar de um bom smartphone ou uma câmera semi-profissional para começar. A facilidade de usar um celular é poder gravar, editar e publicar o vídeo usando apenas um equipamento. Existem muitos aplicativos que facilitam esse trabalho. Outro equipamento essencial para produção desse conteúdo é um suporte para o smartphone. O monopé, por exemplo, vai dar a estabilidade necessária para que os vídeos não saiam tremidos. Eles são mais leves que o tripé, funcionam como pau de selfie, mas também podem ficar de pé. Além disso, pode ter a altura ajus