Esoterismo

A definição, história e importância da consagração

importância da consagração
Escrito por Paulo Rodrigues

Diante de um mundo que apresenta muitas contradições, violência, falta de amor e falta de tempo para dedicar-se a religião, muitas pessoas estão buscando a melhor forma de consagrar suas vidas a Deus e ter mais paz e tranquilidade.

Por isso, antes de começar o processo de consagração, é muito importante aprender o que significa e como a Bíblia interpreta esse ato:

O que é ter uma vida consagrada?

A vida consagrada (muitas vezes chamada vida religiosa) é um estado permanente de vida reconhecido pela Igreja. Os membros entram livremente em resposta ao chamado de Jesus para viver somente para Deus. Aqueles que entram na vida consagrada professam os “conselhos evangélicos” de pobreza, castidade e obediência.

A vida consagrada é uma testemunha da possibilidade da santidade. Padres religiosos, irmãos e irmãs mostram – por suas vidas de oração e serviço – que é possível viver um compromisso cristão. É possível viver pela moral cristã e é possível viver vidas inteiramente dedicadas à caridade cristã.

O que a Bíblia diz sobre a consagração?

Na Bíblia, a palavra consagração significa “a separação de si mesmo das coisas que são impuras, especialmente qualquer coisa que contamine o relacionamento de uma pessoa com um Deus perfeito”. A consagração também carrega a conotação de santificação, santidade ou pureza.

A importância de ser consagrado ou puro em nosso relacionamento com Deus é enfatizada em um incidente no livro de Josué. 

Tipos de Comunidades Consagradas

Existem muitos tipos de vida consagrada. Cada Instituto religioso recebe um carisma especial de Deus. Esse carisma específico permite que a comunidade (frequentemente chamada de institutos ou movimentos) sirva ao bem comum e edifique a Igreja.

Algumas comunidades são dedicadas à ação e ao serviço, e seus membros realizam as obras corporais ou espirituais de misericórdia. As comunidades religiosas administram escolas, universidades, hospitais, albergues, orfanatos, casas de cuidados pessoais e outras instituições de caridade.

Outras comunidades são dedicadas principalmente à contemplação e oração. Essas comunidades geralmente mantêm algum grau de separação da sociedade secular. Os membros geralmente moram em mosteiros, conventos ou outros tipos de cercados.

Exemplos históricos de Consagração a Deus

Depois de quarenta anos no deserto, os filhos de Israel estavam prestes a atravessar o rio Jordão para a Terra Prometida. Eles receberam então um mandamento e uma promessa: “Josué disse ao povo: ‘Consagre-se, pois amanhã o SENHOR fará coisas incríveis entre vocês’” (Josué 3: 5).

O povo de Deus foi ordenado a tomar banho e trocar de roupa; os casais deveriam dedicar-se inteiramente ao Senhor (1 Coríntios 7: 1-6). 

O significado desse comando era que nos tempos antigos a água era considerada um luxo e não era usada com frequência para higiene pessoal. O banho e a troca de roupas simbolizavam um novo começo com o Senhor. A figura aqui é que o pecado é contaminação (Salmo 51: 2, 7), e nós temos que ser purificados antes que possamos verdadeiramente seguir a Deus.

Ao se consagrarem, os filhos de Israel foram assegurados das promessas de Deus. O Senhor prometeu que Ele faria coisas incríveis entre eles (Josué 3: 5). Assim como Ele abriu o Mar Vermelho para livrá-los de seu cativeiro egípcio, Ele abriria o rio Jordão e os levaria para a Terra Prometida. 

De fato, este foi apenas o começo dos milagres que Deus realizaria para eles na conquista da Terra Prometida. Não é de admirar que o salmista declare: “Teus caminhos, ó Deus, são santos. Que deus é tão grande como o nosso Deus? Você é o Deus que realiza milagres; mostras o teu poder entre os povos” (Salmos 77: 13-14).

Outro bom exemplo de consagração é o de Davi ao confessar seu pecado de adultério. Ele tomou banho e trocou de roupa antes de adorar o Senhor (2 Samuel 12:20).

Portanto, como verdadeiros crentes em Cristo, o ato de consagração envolve nossas vidas sendo um sacrifício vivo para ele; estamos totalmente separados da contaminação do mundo. Todos os dias, devemos viver nossas vidas como um sacerdócio “santo” e “real” para a glória de Deus, pois somos agora o povo de Deus (1 Pedro 2: 9-10).

Agora que você já sabe o que é consagração, como a Bíblia interpreta esse ato religioso e como as entidades consagradas estão presentes na nossa sociedade, é importante começar o seu processo de consagração e libertação: Artigo relacionado – Como se consagrar a Deus.

Sobre o autor

Paulo Rodrigues

Apaixonado pelo mundo místico e o místério das simpatias. Mestre de Reiki e pesquisador ativo em paranormalidades. Com o propósito de ajudar as pessoas na busca do autoconhecimento.

Deixe um comentário